Nikolai Gladis

O príncipe bastardo

Description:

Olhos: Azuis claros
Cabelos: negros, curtos. Costuma ter um moicano natural.
Altura: 1,78 m
Peso: 79 kg
Idade Aparente: 19 anos

Nikolai é impulsivo, tempestuoso e verdadeiramente determinado. Tem vocação para instrumentos de cordas e para o canto. Ama sua guitarra Cher e o mundo humano. A maior parte de sua vida, passou lá ou indo e vindo de lá.
Seus olhos azuis não são marca da família real, como aparenta para muitos. Ele é um filho declarado bastardo, portanto, não possui direito a esta marca especial. Seus olhos azuis são herança da família da mãe, que era humana.
Apesar de ser um mestiço, por algum motivo desconhecido a todos especialistas, Nikolai nasceu genuinamente uma fênix, de coloração azul real.

Curiosidades: Nikolai atualmente é a fênix mais poderosa dos sete reinos. Seu poder ainda imaturo rivaliza sem dificuldades com o poder do antigo rei, Mikail.
Quando está nervoso, sempre passa uma das mãos nos cabelos; motivo pelo qual seus cabelos sempre estão desalinhados.

Ator referência: Matt Dallas

Bio:

A câmera está ligada? Ok… hm… Você disse que queria que eu falasse da minha vida? Tudo bem.
Oi, meu nome é Nikolai Gladis. Não sei exatamente qual é minha idade, por que eu não comemoro aniversários. Hm? Por que eu não comemoro? Olha, você vai me achar um cara louco, mas eu não envelheço mais. É sério. Meu pai é um ser mitológico egipcio ou árabe ou sei lá o quê… Ele é uma fênix. E é por isso que depois de um tempo, eu parei de envelhecer. O nome dele era Naransin e ele morreu a um bom tempo. Minha mãe era uma linda humana que tinha uma personalidade muito forte. E não só a personalidade, o nome também era de peso: Titânia. Algumas pessoas até dizem que foi por causa dela que o Titânio tem o nome que tem hoje… * risos * Não, sério, minha mãe era incrível. Sempre contava histórias pra gente, antes de dormir. Acho que queria que nós dois – eu e o Ciel – soubéssemos de sua história. Quando ela era pequena, era uma princesa sabe? Mas aí a família dela morreu e ela ficou sozinha. Parece que toda a família dela foi fuzilada no porão da casa em que eles estavam, ou algo assim.
Que foi? A história é antiga e eu não lembro direito. Praticamente toda minha vida depois dos oito anos de idade foi aqui em Fenícia, August! Dá um tempo…
TIP
Onde eu estava? Ah! A família dela foi fuzilada. o pai, a mãe, as irmãs, o irmão doente… todo mundo. Parece que no país deles, estava tendo uma guerra e eles estavam se escondendo ou algo assim. Estavam passando fome. Minha mãe tinha ido contra as ordens do meu avô, até a floresta para conseguir algum animal ou frutas. Ela tinha ouvido os tiros de longe, quando viu um pássaro enorme parado olhando para ela, em cima de uma árvore. No meio do caminho para a casa. Ela nos contava que o pássaro era tão grande, mas tão grande, que conseguiria com facilidade carregar uma vaca.
O que foi agora? Essa câmera não está torta? August, dá pra parar de comer enquanto eu estou me esforçando nisso aqui? Aliás, me conte direito, pra quê que eu estou fazendo essa merda mesmo?
TIP
Agora vê se fica com esse traseiro verde na cadeira, ok?
O pássaro então levou a garota, contra sua vontade, até outro país. Minha mãe então aprendeu que aquele pássaro era mágico e que lhe ajudaria a sobreviver.
Mamãe disse a mim e a Ciel que aquele foi um período difícil e que o coração dela não estava legal. Ela disse que a unica coisa que sabia fazer, era ir a festas, cavalgar e sorrir. Teve então que aprender a fazer pão e carregar caixas e limpar chaminés. Ela disse que em uma noite, ela se deu ao luxo de vestir um bom vestido e ir a uma festa sem ser convidada. O quê? Sim, Aug, eu também acho que ela deveria estar pirando tendo que trabalhar tanto… Ela disse que ninguém desconfiou que ela não tinha chegado de carruagem e que se quer tinha sido anunciada. Ela disse que essa noite foi mágica. Dançou tanto que seus pés criaram muitas bolhas no dia seguinte e que comeu tantas coisas deliciosas que quase pode esquecer que sua família tinha morrido e que estava em um país estrangeiro. Então, ela disse que nessa noite ela tinha deixado o pássaro “em casa”. Sério! Ela tratava o papai como um bichinho de estimação… * risos altos de ambos * Então, ela dançou muito com um jovem chamado Vincent. Que anos depois, ela iria descobrir ser um conde… Mas isso é outra história. A questão é que ela dormiu com ele. Mas com medo que ele descobrisse sua condição, ela fugiu. Quando chegou em casa, chorou longamente e dormiu. Ela disse que sentiu braços fortes e muito quentes a consolando durante a noite e que sonhou que estava casada e feliz em um lindo palácio colorido e que seus irmãos todos estavam vivos e seu pai cavalgava com sua mãe pela campina. Toda vez que contava essa parte do sonho, ela chorava… *suspiro * Ela nos contou que então, meses depois, nós dois chegamos.

O resto você já sabe, Aug. Eu não preciso contar… Ah! Sim… a maldita câmera. Já tinha esquecido dela.

Nós dois fomos criados em uma paróquia abandonada, cedida pelo padre local, a minha mãe. Ela lavava panos dos ricos da cidade, pra comprar comida e cortava lenha na floresta, para nos manter aquecidos. A noite, nos ensinava a ler e escrever em russo, inglês e francês. Ficamos assim até termos oito anos, quando… Bom… Ela morreu de Pneumonia. Naransin apareceu naquela noite, para nos salvar do incêndio que eu havia provocado. Estávamos os dois parados na sala, segurando cada um, uma mão dela, quando eu comecei a cantar… Mamãe sempre dizia que adorava ouvir minha voz… Música ela dizia “É a forma que a alma encontra para voar”…
Ciel permaneceu calmo me ouvindo cantar. Ao contrário de mim, que estava desesperado chorando, o choro do meu irmão era calmo. Controlado. Algo muito grande havia morrido nele, quando mamãe deu o ultimo suspiro.
Então, eu comecei a pegar fogo e se quer percebia. Ciel apenas me observava, como se já soubesse, ou como se não se importasse… Ele via as labaredas subirem ao teto e tomar conta do carpete. Ele viu o fogo lamber as cortinas e se espalhar pelo assoalho. E nada fazia a não ser ouvir minha voz, me encarar e verter lágrimas pesadas.
Então, quando o fogo já consumia tudo, Que um homem estranho, vestindo trajes estranhos, apareceu. Beijou a testa da minha mãe, falou em uma lingua que eu não conhecia e nos tirou dalí.
Deixou Ciel com o pai, dizendo que ambos eram pai e filho e me levou embora.

Foi a coisa mais cruel que ele já fez comigo, em toda minha vida.

TIP

Nikolai Gladis

InterMundos Chronicles Anathalia