Guia de Nomes para Elfico (Quenya e Sindarin)

ADELE, ADÉLIA, ALICE, ALINE e ALISSON
Feminino — Q. Artanis, S. Arwen
Masculino — Q. Artaner, S. Aranir
Todos do a.-al.ant. adel “nobre”. Traduzido como “donzela nobre” e “homem nobre”.
Fontes: EtymOnline e BTN

ADRIANA — Q. Moreärë, S. Moraearë
ADRIANO — Q. Moreäro, S. Moraearon
Do lat. Adrianus “do Adriático”. Por sua vez, o Adriático é o mar ao leste da Itália, que recebeu seu nome da antiga cidade de Adria, cujo nome deriva de atra, o neutro de atrum “preto”. Considera-se portanto que o nome Adriático é traduzido como “mar negro” e Adriano como “do mar negro”.
Fonte: EtymOnline

ALAN — Nome élfico indisponível.
Existem várias teorias sobre o significado desse nome, mas ninguém chegou a uma conclusão, exceto de que provavelmente é de origem bretã. Talvez signifique o mesmo que EDER.
Fonte: BTN, EtymOnline

ALBERTA — Q. Arcalimë, S. Argaladiel
ALBERTO — Q. Arcalimo, S. Argalad
a.-al.ant. Adalbert “Nobre-brilhante”. Uma outra possível tradução (e talvez mais literal) para o S. é Arlan (f. Arlaniel).
Fonte: EtymOnline

ALVIN — Q. Elendil, S. Elvellon
Do a.-s. Ælfwine “Amigo dos Elfos”.
Fonte: BTN

ANDRÉA — Q. Nerwen, S. Dirwen
ANDRÉ — Q. Vëon, S. Bellon
Do gr. Andreas “masculino”. O feminino acima significa “donzela homem”, um dos nomes de Galadriel.
Fonte: EtymOnline

BRUNA — Q. Varniel, S. Baraniel
BRUNO — Q. Varnion, S. Baranon
Do a.-al.ant., lit. “marrom, castanho”.
Fonte: EtymOnline

CAMILO e CAMILA — Nome élfico indisponível.
Do lat. camillus “jovem nobre que assiste aos sacrifícios”. Talvez o equivalente religioso romano ao coroinha católico.
Fonte: EtymOnline

CÁSSIO — Q. Cumna, S. Cûn
Do lat. “vazio, vão”.
Fonte: BTN

CELSO — Q. Alto, S. Orchal
Do lat. Celsus “alto”
Fonte: BTN

CAROL — Q. Nerwen, S. Dirwen
CARLOS — Q. Atan, S. Adan
Do nome germânico Karl, que possivelmente significa “homem”. Variantes do nome feminino são “Carolina” e “Carla”. Nerwen é diretamente atestado como um dos nomes de Galadriel, “Donzela Homem”, sendo Dirwen uma reconstrução para o S.
Fonte: BTN

DAGOBERTO — Nome élfico indisponível
Talvez o nome seja uma fusão do elemento nórd.ant. dagr “dia” e do a.-al.ant. beraht “brilhante”, mas prefiro não me aventurar sem fontes seguras.
Fonte: Nenhuma

DANIELA — Q. Erunámë, S. Eruvadhoriel
DANIEL — Q. Erunámo, S. Eruvadhor
Do heb. “Deus é meu juiz”, rel. ao elemento Dan “aquele que julga”.
Fonte: EtymOnline

DEMÉTRIO — Q. Cementárion, S. Cevenberethion
Do gr. Demetrius “Filho de Deméter”, que por sua vez significa “mãe-terra”. Utilizado o título da Valië Yavanna “rainha da terra” como tradução para Deméter. Em russo este nome é DMITRIY.
Fonte: BTN

DIANA — Q. Valavë, S. Balassui
Do gr. “divina”. No Brasil há muitas versões desse nome utilizando que adaptam a pronúncia inglesa à nossa ortografia. Ex.: Daiana, Daiane, etc.
Fonte: BTN

DIEGO — Q. Istyar, S. Istui
É provável que o nome seja uma contração de SANTIAGO, mas a possibilidade maior é de que venha do gr. Didache “ensinando”. Os nomes acima não são traduções literais, significando apenas “estudioso, homem com conhecimento”. DIOGO é a versão portuguesa mais comum desse nome.
Fonte: BTN

EDER — Q. Vanimo, S. Bain
Este nome pode vir de duas origens: a heb. que significa “floco”, e a basca que significa “belo”. Optei pela segunda, haja vista a primeira é difícil de traduzir.
Fonte: BTN

EDUARDA — Q. e S.Herenvarwen
EDUARDO — Q. e S. Herenvar
Do a.-s. Ead-weard “guarda da prosperidade”.
Fonte: EtymOnline

ELISABETE — Q. Eruvanda, S. Eruwaedh
Do heb. Elishebha “Deus é um juramento”. Variantes incluem ELIS, ELISA e LISA.
Fonte: EtymOnline

ELVIS — Q. Quantasaila, S. Panthael
Possivelmente do nome ing. Alvis “todo sábio”.
Fonte: BTN

FABRÍCIO — Q. Carmo, S. Cardhir
Do lat. Fabricius “artesão”.
Fonte: BTN

FELIPE — Q. Roccondil, S. Rochvellon
Do gr. Phillipos “Amigo dos Cavalos”.
Fonte: BTN

FERNANDA — Q. Verdelë, S. Berdel
FERNANDO — Q. Verdelo, S. Berdelon
Nome de origem germânica, do proto-germ. farði, subst. abstrato da base *far- “viajar”; segundo elemento talvez relacionado ao a.-al.ant. nendan “arriscar, aventurar”. Traduzi o nome de maneira não muito purista para “viajante ousado(a)”.
Fonte: EtymOnline

FRANCISCA — Q. Mirimiel, S. Laimiel
FRANCISCO — Q. Mirimon, S. Laimion
Possivelmente significa “um francês”. O nome “francês” parece significar “pessoa livre”. FRANCO é uma variante desse nome.
Fontes: BTN e EtymOnline

GABRIELA — Q. Nisseruo, S. Eruwen
GABRIEL — Q. Nereruo, S. Erudhir
Do heb. Gabhri el “homem de Deus”, cujos elementos são gebher “homem” e El “Deus”. Nome feminino traduzido para “mulher de Deus”.
Fonte: EtymOnline

GUILHERMINA — Q. Nírasolmë, S. Nirtholiel
GUILHERME — Q. Nírasolmo, S. Nirthol
Do norm.ant. Willaume, de willio “vontade” + helma “elmo”. Tradução extremamente experimental, pois não há forma atestada de um possível subst. S. nîr “vontade”, nem de um subst. Q. solma “elmo”, nem ao menos das possíveis raízes do Quend.prim. NIR ou THOL. Contudo, vi a necessidade de escolher entre formas do Noldorin de 1937 ou do Sindarin dos anos 1960, escolhendo o último.
Fonte: EtymOnline

HELOÍSA — Q. Arien, S. Eirien
Do fr.ant Héloïse, cujo significado é desconhecido, mas pode vir do gr. helios “sol”. A tradução utilizada foi “donzela do sol”.
Fonte: BTN

HENRIQUE — Q. Marcáno, S. Bargon
a.-al.ant. Heimerich “o senhor/comandante da casa”, de heim- “casa” + rihhi “senhor, comandante”.
Fonte: EtymOnline

IGOR — Q. Cúohtar, S. Cúvaethor
Do nórd.ant. yr “arco” + arr “guerreiro”.
Fonte: BTN

ISAÍAS — Q. Eruetelehto, S. Eruedrithant
Do heb. Yesha’yah “salvação de Deus”.
Fonte: EtymOnline

JACÓ — Nomes élficos indisponíveis.
Do heb. Ya’aqobh “aquele que agarra pelo calcanhar”. O Jacó bíblico, é dito, nasceu segurando o calcanhar de seu irmão gêmeo Esaú, para impedí-lo de nascer primeiro, tornando-se dessa forma o primogênito de Isaac. Infelizmente não possuímos uma palavra para “calcanhar” em qualquer estágio de desenvolvimento do Quenya ou do Sindarin, o que torna a tradução deste nome e seus derivados (SANTIAGO, TIAGO, JAQUELINE).
Fonte: EtymOnline

JÊNIFER — Q. Pastafána, S. Pathfaen
Versão da Cornuália do nome galês Gwenhwyfar, de gwen “belo, branco” + (g)wyf “suave”. Famoso pela Rainha Guinevere dos contos arturianos.
Fonte: EtymOnline

JÉSSICA — Nome élfico indisponível.
O significado desse nome é incerto. Ele vem do heb. Yiskah, aparentemente da raiz sachah “ver”. O mesmo comentarista anônimo que cita isso diz que a adição do yud implica o tempo futuro, que deixaria o nome com um sentido “envisionar, aquela que vê no futuro”. Mas, sendo um comentário anônimo, decidi não dar muita relevância.
Fonte: BTN (Comentários)

JOANA — Q. Aistana, S. Aeriel
JOÃO — Q. Aistano, S. Aeron
Do heb. y’hohanan “Deus favoreceu”. Considera-se, por ext. “abençoado”, portanto os nomes acima. “Ivan(a)” é a versão russa do nome.
Fonte: EtymOnline

JONATAN — Q. Eruanto, S. Eruónel
Do heb. Yehonathan “o Senhor deu”.
Fonte: EtymOnline

JORGE — Q. Kemmotar, S. Cememmudor
Do gr. Georgius “fazendeiro”, de ge “terra” + ergon “trabalho”. Tradução original de Helge Fauskanger para o Quenya.
Fonte: EtymOnline

LAURA — Q. Aldacóvostë, S. Orngovostiel
LORENZO — Q. Aldacóvosto, S. Orngovoston
Do fr.ant Lorenz, do lat. Laurentius “de Laurentum“, uma cidade cujo nome significava lit. “cidade das árvores da baía”. Talvez “Lohan” seja uma corruptela desse nome.
Fonte: EtymOnline

LEONARDO — Q. Rástar, S. Rauthar
Do a.-al.ant. *Lewenhart “forte como um leão”, de lewo + hart “duro”.
Fonte: EtymOnline

LETÍCIA — Q. Alassë, S. Glass
Do lat. lætitia “contentamento”. Traduzido para “felicidade”.
Fonte: EtymOnline

LÍDIA — Nome élfico indisponível.
Este nome significa “da Lídia”, uma região da costa oeste da Ásia Menor. Por não possuir indicativos da origem do nome da região, como fiz com Lucas, por exemplo, decidi não fazer qualquer tradução.
Fonte: BTN

LUCAS — Q. Airetauro, S. Aerdor
Contração do lat. Lucanus “da Lucânia”, distrito da Itália meridional, agora “Basilicata”. Era habitado pelos lucanianos e, por isso, recebeu o nome. As traduções acima consideram que a origem do nome é o lat. lucus “bosque sagrado” e não o gr. lukos “lobo”, haja vista os vizinhos setentrionais dos lucanianos chamarem-se hirpini, contendo o lat. hirpus “lobo”.
Fontes: EtymOnline e Wikipédia

LÚCIA — Q. Caliel, S. Caladiel
LÚCIO — Q. Calion, S. Caladon
Do lat. Lucius, relacionado a lux “luz”. Variantes do nome incluem “Luciana(o)”.
Fonte: BTN, EtymOnline

LUÍSA — Q. Alcarinohta, S. Aglareboth
LUÍS — Q. Alcarinohto, S. Aglareboth
Do a.-al.ant. Hluodowig “famoso em guerra”, do proto-germ. *hluda- “famoso” + *wiga “guerra”.
Fonte: EtymOnline

MÁRCIA — Q. Carnillë, S. Borgiliel
MÁRCIO — Q. Carnil, S. Borgil
Do lat. Marcus, relacionado ao deus Marte. “Marcos” é uma variante desse nome, “Marcelo” é uma forma carinhosa do nome, que poderia ser em Q. Carnilya (com -ya, sufixo que indica forma carinhosa) e S. Pinvorgil (com pîn “pequeno”). “Marcela”, por sua vez, é uma forma carinhosa do nome feminino, que poderia ser em Q. Carnilya (com -ya, sufixo que indica forma carinhosa) e S. Pinvorgiliel (com pîn “pequena”).
Fonte: EtymOnline

MAURO — Q. Moro, S. Morn
Possivelmente um nome indígena dos habitantes da Mauritânia, que talvez tenha gerado o adj. gr. mauros “negro”, haja vista os habitantes dessa região terem a pele mais escura do que os europeus.
Fonte: EtymOnline

MIGUEL — Q. Manveru, S. Manhuieru
Do heb. Mikha-el, uma pergunta retórica “Quem é como Deus?”
Fonte: EtymOnline

NATÃ — Q. Annnatar, S. Annchir
Do heb. Nathan “ele deu”. Traduzido como “Senhor dos Presentes”, o nome utilizado por Sauron para se aproximar dos elfos na Segunda Era.
Fonte: EtymOnline

NICOLE — Q. Turelië, S. Túrwaith
NICOLAU — Q. Turelio, S. Túrwaithon
Do gr. Nikholaos “vitória-povo”, de nike “vitória” + laos “povo”.
Fonte: EtymOnline

NÚBIA — Q. Laurëa, S. Gloriel
Nome de um reino antigo da África, ao sul do Egito. Possivelmente vem da palavra egípcia nbw “ouro”.
Fonte: BTN

OSCAR — Q. Eruehtion, S. Eruechtelion
Do a.-s. Osgar “Lança Divina”, formado dos elementos gar “lança” + os “deus”.
Fonte: EtymOnline

OSVALDO — Q. Eruvalon, S. Eruvalan
Do a.-s. Osweald “poder de deus, senhor deus”.
Fonte: EtymOnline

PATRÍCIA — Q. Amillë, S. Emel
PATRÍCIO — Q. Atar, S. Adar
Nome dos membros da antiga ordem da nobreza romana, os Patrícios, vindo do lat. pater “pai”. O nome feminino significa “mãe” na tradução acima.
Fonte: EtymOnline

PAULA — Q. Pitya, S. Niben
PAULO — Q. Pityo, S. Niben
Do lat. Paulus, lit. “pequeno”.
Fonte: EtymOnline

PEDRO — Q. Sardo, S. Sarn
Derivado do gr. Petros, lit. “pedra”, tradução do sírio kefa, apelido dado por Jesus ao apóstolo Simão Bar-Jona.
Fonte: EtymOnline

PRISCILA — Q. Yára, S. Iauriel
Do lat. Priscillus, diminutivo de priscus “velho, antigo, primitivo”. Na tradução não foi utilizado qualquer diminutivo, por motivos estéticos.
Fonte: EtymOnline

RAFAELA — Q. Eruenvinyantë, S. Erunestant
RAFAEL — Q. Eruenvinyanto, S. Erunestant
Do heb. Rephael “Deus Curou”.
Fonte: EtymOnline

RENATA — Q. Ennónë, S. Adonneniel
RENATO — Q. Ennóno, S. Adonnen
Do lat. Renatus “nascido novamente”.
Fonte: BTN

RICARDO — Q. Sarcáno, S. Thargon
a.-al.ant. Ricohard, do proto-germ. *rik- “senhor, comandante” + *harthu “duro”. O elemento sar-/thar- nas traduções élficas vem da tradução de Tolkien para seu próprio sobrenome, Arcastar, mas fora esse exemplo não há confirmação de que o elemento possa ser utilizado em qualquer posição exceto a medial em Quenya, tornando Sarcáno uma formação altamente experimental.
Fonte: EtymOnline

ROGERIA — Q. Alcarinehtë, S. Aglarecthel
ROGER — Q. Alcarinehton, S. Aglarecthelon
a.-al.ant. Hrotger “famoso com a lança”, de hruod- “fama, glória” + ger “lança”.
Fonte: EtymOnline

RODRIGO — Q. Alcarcáno, S. Aglargon
a.-al.ant. Hroderich “comandando em fama/glória”, de hruod- “fama, glória” + proto-germ. *rikja “comandar”. RUI é uma forma portuguesa antiga de RODRIGO.
Fonte: EtymOnline

SÍLVIA — Q. Taurina, S. Taurwen
SÍLVIO — Q. Taurino, S. Tauron
Do lat. silva “floresta”.
Fonte: BTN

TANISE — Q. Ilfirin, S. Alfirin
Possivelmente a forma masculina de Thanos, por sua vez uma forma carinhosa de Athanasios, que em gr. significa “imortal”.
Fonte: BTN

THAÍS — Q. Envinyatariel, S. Nostariel
Possivelmente significa “bandagem” em grego. A tradução acima significa “curadora”.
Fonte: BTN

VITOR — Q. Turon, S. Turon
Do lat. victor “vencedor, conquistador”.
Fonte: EtymOnline

VITÓRIA — Q. Turë, S. Túriel
Do lat. victoria.
Fonte: EtymOnline

ZULEICA — Q. Vána, S. Banwen
Do persa “beleza brilhante”. Em Q. *Vanalcarinqua ficaria mais próximo do sentido literal. “Vána” é o nome da Valië esposa de Oromë no legendário e seu nome vem da raiz Quend.prim. BAN, relacionada à beleza.
Fonte: BTN

Guia de Nomes para Elfico (Quenya e Sindarin)

InterMundos Chronicles Anathalia